Convite

Paixão, minha querida,

Quanto tempo não te vejo! Mais de uma década.

Tive receio de nunca mais te encontrar.

Nesse tempo, algumas vezes você enviou avisos, fez que vinha, mas não apareceu.

Pensei que era culpa da idade. Talvez você não pudesse suportar a sobriedade dos anos.

CONTINUE LENDO »

Tecno

1 ano – Na cadeirinha de refeição, brinca com um tablet e abre a boca sem olhar para a comida, oferecida por um adulto apressado.

2 anos – É entretida por vídeos para conseguir dormir, suportar esperar e tolerar andar de carro.

3 anos – Pequena tirana, manda na TV da casa e é obedecida pelos pais, culpados por trabalharem muito.

CONTINUE LENDO »

De costas

Fim de um show empolgante de uma banda famosa. O grupo agradece e sai do palco. Eu começo a gritar: -Mais um! Mais um! Ninguém me acompanha. Recolho meu entusiasmo solitário. Olho em volta surpresa. Será que as outras pessoas não viram e ouviram o mesmo que eu? Antes que eu entendesse, elas já deram de ombros e começaram a se dispersar.

Quis imaginar que era um fenômeno isolado de um público muito específico. Pois, neste fim de semana, aconteceu de novo.

CONTINUE LENDO »

Raízes

Temos habitado a superfície das coisas. Enquanto cresce o imenso terreno da informação, vamos, feito planta rasteira, sem produzir flor ou lançar semente, alastrando na mesmice.

Mas, de vez em quando, alguma força convoca para a origem e, então, somos capazes de visitar a essência. Nos últimos dias, dois fenômenos da internet (quem diria!) promoveram esse encontro.

CONTINUE LENDO »

Ordinária

Há em mim algo do assassino, porque, às vezes, meu controle também falha.

Há em mim algo do pedinte, porque também sou faminta de compreensão.

Há em mim algo da criança birrenta, porque também recuso o que me contraria.

Há em mim algo da puta na esquina, porque também negocio com o desejo alheio.

CONTINUE LENDO »

Maratona

Nesta semana cada um dos meus filhos deu um passo novo. A mais velha começou um estágio, o primeiro trabalho dela. Meu menino iniciou o ensino médio. E a pequena passou a estudar de manhã.
Nos preparamos como pudemos para essa segunda-feira. Tênis lavados, material nas mochilas, documentos assinados em envelope. Cartão de ônibus para uma, óculos para outro, lanche da caçula.

CONTINUE LENDO »

Sua mãe e seu pai

– Vou falar poucas e boas na cara desse Freud! Que mania de colocar a culpa de tudo na mãe! Você leva sua filha na psicóloga, e ela faz o quê? Detona a gente!

O protesto materno é encenado pelo ator Paulo Gustavo. Acho que todo analista já foi alvo de fúria semelhante à da personagem da Dona Hermínia.

É que a terapia vai apontar na direção da infância para tentar descobrir um padrão amoroso.

CONTINUE LENDO »

Duendes

Quando eu era adolescente e dirigia por aí sem carteira de motorista, preguei no vidro do carro um adesivo escrito: “Eu acredito em duendes”. De lá pra cá, deixei de ser uma infratora do código trânsito, mas não deixei de acreditar em coisas intangíveis.

Entretanto, de vez em quando, faço o exercício de duvidar das minhas crenças e imaginar a vida sem elas.

Talvez não haja duendes e nenhuma energia emanando das pessoas ou da natureza.

CONTINUE LENDO »

Barragem

Ei, Filha. Que bom que vocês chegaram bem. Aproveite a viagem. Passeie no sol, passeie na lua. Esqueça o site do Sisu. Segunda-feira você faz a inscrição e pronto. Sei que você está ansiosa para entrar na faculdade de Direito. Sei que o Direito Ambiental se tornou sua meta, depois que você fez o curso técnico em meio ambiente. Mas, veja bem, uma nova barragem de rejeitos se rompeu hoje. As fotos mostram as casas afogadas no barro, só os telhados de fora. A gente mal consegue supor vida embaixo daquela onda de sujeira. Mas havia. Um varal com roupa

CONTINUE LENDO »

Metáfora

Estive procurando descobrir porque alguns textos que escrevo atraem muito menos interesse do que outros e desconfiei que o problema é com as metáforas. E, antes que você desista de chegar ao fim, por eu ter usado esse termo das aulas de português, me deixe explicar a metáfora como eu a aprendi aos 9 anos de idade. Minha professora me deu para ler o livro “O urso com música na barriga” de Érico Veríssimo e mandou que eu anotasse a frase mais bonita.

CONTINUE LENDO »

Noticiário

Boa noite! Está no ar o jornal do dia, com os fatos desta terça-feira que você não pode ignorar:

DAVOS – Começou hoje o Fórum Econômico Mundial. Só 1 de cada 5 participantes é mulher. Dos poderosos do capitalismo reunidos na Suíça, pelo menos 25 estão envolvidos em escândalos de má conduta corporativa, incluindo sexismo e assédio.

CONTINUE LENDO »

Desordem

– Mãe, por que você não usa esse vestido? perguntou minha filha mais velha.

– Porque me lembra o João.

– Então, por que você não dá o vestido para alguém?

– Porque me lembra o João.

Incoerente. Tantos anos depois, recusa e apego pendurados no mesmo cabide.

CONTINUE LENDO »

Convite

Paixão, minha querida,

Quanto tempo não te vejo! Mais de uma década.

Tive receio de nunca mais te encontrar.

Nesse tempo, algumas vezes você enviou avisos, fez que vinha, mas não apareceu.

Pensei que era culpa da idade. Talvez você não pudesse suportar a sobriedade dos anos.

CONTINUE LENDO »

Tecno

1 ano – Na cadeirinha de refeição, brinca com um tablet e abre a boca sem olhar para a comida, oferecida por um adulto apressado.

2 anos – É entretida por vídeos para conseguir dormir, suportar esperar e tolerar andar de carro.

3 anos – Pequena tirana, manda na TV da casa e é obedecida pelos pais, culpados por trabalharem muito.

CONTINUE LENDO »

De costas

Fim de um show empolgante de uma banda famosa. O grupo agradece e sai do palco. Eu começo a gritar: -Mais um! Mais um! Ninguém me acompanha. Recolho meu entusiasmo solitário. Olho em volta surpresa. Será que as outras pessoas não viram e ouviram o mesmo que eu? Antes que eu entendesse, elas já deram de ombros e começaram a se dispersar.

Quis imaginar que era um fenômeno isolado de um público muito específico. Pois, neste fim de semana, aconteceu de novo.

CONTINUE LENDO »

Raízes

Temos habitado a superfície das coisas. Enquanto cresce o imenso terreno da informação, vamos, feito planta rasteira, sem produzir flor ou lançar semente, alastrando na mesmice.

Mas, de vez em quando, alguma força convoca para a origem e, então, somos capazes de visitar a essência. Nos últimos dias, dois fenômenos da internet (quem diria!) promoveram esse encontro.

CONTINUE LENDO »

Ordinária

Há em mim algo do assassino, porque, às vezes, meu controle também falha.

Há em mim algo do pedinte, porque também sou faminta de compreensão.

Há em mim algo da criança birrenta, porque também recuso o que me contraria.

Há em mim algo da puta na esquina, porque também negocio com o desejo alheio.

CONTINUE LENDO »

Maratona

Nesta semana cada um dos meus filhos deu um passo novo. A mais velha começou um estágio, o primeiro trabalho dela. Meu menino iniciou o ensino médio. E a pequena passou a estudar de manhã.
Nos preparamos como pudemos para essa segunda-feira. Tênis lavados, material nas mochilas, documentos assinados em envelope. Cartão de ônibus para uma, óculos para outro, lanche da caçula.

CONTINUE LENDO »
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com